Conheça um pouco da história do

Santo Antônio

  • 2015

    No aniversário de 80 anos da casa, uma grande festa, recheada com inúmeras personalidades da cidade e do estado, fizeram os clientes e a família se emocionar, lembrando todos os momentos marcantes e as principais figuras que deixaram seu legado na história do restaurante.

  • 2010

    No aniversário de 75 anos da casa, Jorge Aita é homenageado com a medalha Negrinho do Pastoreio. Uma distinção recebida pelas mãos do então Governador por ser o único restaurante da cidade com 75 anos (na época) existindo no mesmo local e pertencendo à mesma família – os Aita.

  • 2006

    É lançado o livro “Flores da Cunha de Corpo Inteiro”, de Lauro Schirmer, que enfatiza o Santo Antônio como a primeira churrascaria do RS e do Brasil.

  • 2001

    O Santo Antônio começa a trabalhar com cozinha itinerante através da Jorge Aita Gastronomia, sendo sua equipe contratada para eventos corporativos de grande porte como a Casa & Cia, Expointer, lançamentos imobiliários, etc.

  • 1998

    O restaurante perde um de seus grandes mestres e responsáveis pelo sucesso da casa, Caetano Aita. O sobrado onde cresceram os cinco filhos de Caetano Aita e Iria se renova ainda mais, transformando-se em um espaço para recreação. Nesta área são disponibilizados jogos pedagógicos, brinquedos, vídeo-games, livros, além de material de pintura e desenho.

  • 1992

    O Santo Antônio participa pela primeira vez da Expointer, maior feira de agropecuária da América Latina e uma das maiores do mundo.

  • 1985

    Apesar da crise do final da década de 80, o restaurante consegue se manter bem. O congelamento de alguns preços dificulta o abastecimento, mas os fornecedores de mais de 30 anos garantiam o dia-a-dia do Santo Antônio.

  • 1979

    É Adquirido o prédio ao lado do restaurante, que é, com isto, ampliado. Com a terceira geração, Elaine, Alfredo e Jorge, cria-se a a nova sociedade Caetano Aita e filhos Ltda.

  • 1951

    O restaurante passa a oferecer o sorvete caseiro, feito por Orlando e João. Um sucesso que atrai pessoas de longe para provar o sorvete dos Aita. Também neste ano. Umberto lança o “Pescaleto”, peixe na brasa.

  • 1949

    Até 1949 o restaurante não tinha nome, era chamada de restaurante do “Antônio”, em referencia ao fundador, Antônio Aita. O restaurante é oficialmente chamado de Santo Antônio quando, neste ano, um amigo traz de Pádua, na Itália, uma estátua de Santo Antônio.

  • 1947

    Após o falecimento de Antônio Aita, o seu filho Caetano assume a cozinha. Por não saber fazer as antigas receitas do pai, acaba criando aquele que viria a ser o grande sucesso da casa, o filé Santo Antônio, originalmente feito na lata.

  • 1946

    O restaurante passa a existir na junta comercial.

  • 1945

    Como fonte de renda alternativa, o prédio do restaurante passa abrigar uma pequena pensão, frequentada por atletas como Sarará e Camacho (do Grêmio, que a esta época se localizava na baixada, atual Parcão).

  • 1943

    Período conturbado para os Aita. O restaurante sente os efeitos da segunda guerra mundial.

  • 1935

    Em setembro deste ano, a família Aita é convidada a fazer o churrasco da exposição Farroupilha, evento grandioso em homenagem ao centenário da revolução. Até esta data o restaurante só vendia comida italiana e caseira. A exposição oferece grande visibilidade ao restaurante.

  • 1929

    Antônio Aita, patriarca da família, trabalhava como motorneiro da Carris e dona Congetta fazia viandas. Ela decide abrir um café na Avenida Benjamin Constant na frente do antigo cinema Orfeu.